ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

KOL NIDREI OP.47

Última modificação : Terça, 01 Dezembro 2015 16:10



CHRISTIAN FRIEDRICH MAX BRUCH (1838-1920)

ALEMÃO – ESCOLA NACIONALISTA AUSTRO-ALEMÃ - C.200 OBRAS 


KOL NIDREI OP. 47 PARA VIOLONCELO E ORQUESTRA – ADAGIO MA NON TROPPO – UM POCO PIU ANIMATO


Max Bruch finalizou essa peça em Liverpool, que foi publicada pela primeira vez em Berlim, em 1881. É conhecida como “Adagio em Melodias Hebraicas” e consiste em uma série de variações sobre dois temas principais de origem judaica. O primeiro tema, que lhe dá o título, vem da oração Kol Nidrei, que em aramaico significa “todos os votos” ou “todas as promessas”.


Na véspera do Yom Kipur – o Dia do Arrependimento ou o Dia do Perdão – em todas as sinagogas ao redor do mundo, a Arca Sagrada é aberta e os rolos de Torá são retirados. Em seguida, o chazan e a congregação entoam o Kol Nidrei, um prelúdio marcante que durante séculos transmite a gerações de judeus o espírito do Dia do Perdão. 


Na melodia, Bruch coloca o violoncelo imitando a voz rapsódica do chazan, em um solo barítono. Essa peça ressoa com uma solenidade ímpar que transcende a mera conotação religiosa. Bruch era protestante e conheceu essa oração através da família Liechteinstein, em Berlim. Foi o patriarca dessa família, o qual era o principal kantor de Berlim, quem incentivou o interesse de Bruch pela música folclórica judaica. Apesar de muito criticado por ter escrito essa peça, deve-se ter em mente que Bruch nunca teve a intenção de compor música judaica e sim incorporar a inspiração judaica em suas próprias composições.




Vídeo