ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

STOCKHAUSEN, KARLHEINZ (1928-2007)

Última modificação : Segunda, 10 Fevereiro 2014 18:22


ALEMÃO – MÚSICA MODERNA – 313 OBRAS


 

Stockhausen ganhou "status cult" graças a seu talento para a música e a publicidade. Apesar disso, suas proezas apresentam sérios inconvenientes: até mesmo seu Quarteto Helicóptero, no qual um quarteto de cordas toca em pleno voo em quatro diferentes helicópteros, mostra seu antigo fascínio pela música no espaço, o que o levou a sonhar com salas de concerto em que o som atinge o ouvinte de todas as direções.

 

Vida. Compositor alemão, Karlheinz Stockhausen nasceu em Mödrath, perto de Colônia, a 22 de agosto de 1928 e morreu em Kurten, a 05 de dezembro de 2007. Entrou em 1947 para a Escola Superior de Música de Colônia, passando  a estudar composição com Frank Martin em 1950. Um ano depois, contando com a colaboração de Herbert Eimert, pode apresentar suas obras pelo rádio e no curso de música contemporânea em Darmstadt. Seguindo para Paris, estudou com Oliver Messiaen, assim como, por algum tempo, com Darius Milhaud. Interessou-se então vivamente pela música concreta.

 

De regresso à Colônia, em 1953, fundou com Eimert o famoso estúdio de música eletrônica que, a partir de 1963, estaria sob sua direção. Empreendendo na universidade de Bonn (1954 a 1956) estudos de fonética e de acústica, bem como de teoria da informação, Stockhausen em 1957 fez conferências em Darmstadt e, no ano seguinte, viajou pela Europa e E.U.A., apresentando-se em concertos e palestras sobre a música contemporânea, de cuja teoria é um dos maiores divulgadores, no papel de co-editor, desde 1955, do jornal Die Reihe (A Série).

 

Caracterização.  Retomando inicialmente a trilha da criação musical de Webern, Stockhausen torna-se não só uma das principais personalidades contemporâneas na composição e teoria da música serial, como um dos mais ativos pesquisadores da vanguarda alemã, à qual tem contribuído com uma longa sucessão de novos recursos e perspectivas. Audacioso, mas sempre lúcido, conduz sua experiência para a organização do som e do ruído em novas dimensões, em busca da “estereofonia natural” que dispõe a música em movimento no espaço (Rummsik).

 

Menos preocupado com a tradição histórica da música do que com os elementos psicológicos e acústicos de sua criação, trabalha com o universo de possibilidades da eletrônica sem se descuidar de prevenir os riscos de mecanização da produção musical com uma abertura à criatividade co-autoral dos executantes. Stockhausen desenvolve seus efeitos de “estereofonia natural” na oposição intencional de “parâmetros” em que ora se contrastam diferentes andamentos, ora diferentes orquestras e música instrumental com música eletrônica. Mas também se volta para a criação aleatória, imprimindo-lhe impulso decisivo na composição de peças dispostas em fragmentos cuja ordem ou número a tocar dependem da ocasião e dos intérpretes.

 

 


Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional