ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

176 anos sem Paganini

Última modificação : Sexta, 24 Junho 2016 15:02


 

 

A história da música conta com alguns personagens exóticos e casos inexplicáveis. Uma história que ninguém nunca soube explicar é sobre a espantosa habilidade musical de Paganini. É impossível falar em “virtuosismo violinístico” e não citar Niccolò Paganini. O italiano encantou as plateias da época com concertos inacreditáveis em que sua habilidade técnica espantava o público. Sua influência como violinista foi tão grande que outros músicos desejaram realizar, em seus instrumentos, o que Paganini fazia no violino. Liszt, por exemplo, decidiu explorar ao máximo as potencialidades técnicas do piano após ouvir Paganini tocar.


Continue lendo 

 

Video - La Campanella, de Paganini: http://bit.ly/16kgTeM


 

Paganini era capaz de tocar a uma velocidade espetacular: doze notas por segundo! Esse é tempo que a maior parte dos músicos leva para ler doze notas. Ele também inovou com suas técnicas de memorização: antes dele, todos os violinistas tocavam acompanhados de um programa musical. Paganini, por sua vez, costumava simplesmente subir ao palco com seu instrumento, sacudir seu longo cabelo e pôr-se a tocar. Uma pergunta, então, passou a intrigar seus ouvintes. Como ele conseguia fazer aquilo?

 

Vídeo com a transcrição de Franz Liszt para La Campanella: http://bit.ly/10XyyzO

 

 

Sua aparência cadavérica e seu estilo de vida desregrado contribuíram para o surgimento de uma lenda: dizia-se que Paganini havia vendido a alma ao diabo em troca de uma habilidade musical ilimitada. Quando, aos quarenta anos, o violinista começou a viajar pela Europa, suas excentricidades tornaram-se ainda maiores. Chegava aos concertos coberto por um longo manto negro, em uma carruagem puxada por quatro cavalos e algumas vezes demorava a entrar no palco para, depois de longos minutos, surgir de súbito e uivar em direção ao público.

 

Vídeo - Capricho nº 24: http://bit.ly/16kgWHl

 

 

Em 1978 surgiu a teoria de que Paganini era portador de uma doença conhecida como Síndrome de Marfan (ou Aracnodactilia), uma desordem do tecido conjuntivo que altera determinados membros do corpo. No caso de Paganini, seus dedos eram maiores que o normal. Isso explicara, em parte, sua habilidade técnica, pois uma mão maior e mais flexível teria mais capacidade para realizar proezas virtuosísticas. O talento de Paganini até hoje é citado como exemplo quando o assunto é virtuosismo instrumental.

 

Vídeo - O Carnaval de Venezahttps://youtu.be/nW34vdnjBO0