ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

CORNE INGLÊS

Última modificação : Sexta, 21 Junho 2013 16:33


 

É um instrumento de madeira e palheta dupla da família do oboé. Mas o seu tubo sonoro mede 92 cm de comprimento e termina numa campânula esferóide ou em forma de pera e o tudel é inclinado para trás. Há tipos com o tubo também torcido para trás ou formando um ângulo obtuso. É um instrumento transpositor, fabricado em tom de fá, e soa uma quinta justa inferior à nota real. Sua extensão escrita vai do si2 ao fá5. O nome dado ao instrumento é impróprio já que ele não é nem "inglês", nem é um "corno" (corneta, trompa). Sua atual designação deve vir do francês cor anglé, porque primitivamente tinha forma arqueada ou em ângulo, o que lhe dava uma certa semelhança com a trompa.

 

O corne inglês foi inventado em 1760 por Ferlandis, fabricante de instrumentos em Bérgamo, Itália, e é um aperfeiçoamento do antigo oboé de caça. Inicialmente, sua música era escrita na clave de dó na segunda linha. Depois, os italianos começaram a usar a clave de fá e, atualmente, a música para corne inglês é escrita na clave de sol. O emprego generalizado do instrumento só se observa a partir do século XIX.

 

Na época de Johann Sebastian Bach existiu um oboé um pouco maior chamado oboé de amor (oboé d´amour). Era afinado em lá, e seu tubo cônico terminava por um bojo semelhante ao do corne inglês. Bach empregou-o no Weihnachsoratorium (1734; Oratório de Natal) e em outras obras. Depois, o instrumento caiu em desuso. Richard Strauss reviveu-o em sua Sinfonia domestica (1904), depois que o belga Victor-Charles Mahillon (1841-1924), célebre fabricante de instrumentos de sopro, possibilitou o emprego do oboé de amor na música moderna.

 

Conheça o OBOÉ

 

Vídeo

Albrecht Mayer solando concertos de Händel no oboé, oboé d'amore. Jonathan Kelly, ao corne inglês. Ambos são solistas da Filarmônica de Berlim.

 

 

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional