ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

FAGOTE

Última modificação : Sexta, 13 Novembro 2015 16:27


 


Etmologia. O esp. fagot, port. fagote, é empréstimo ao fr. fagot; mas o sentido original francês é de "feixe de lenha" de étimo desconhecido. O instrumento foi assim chamado por desmontar-se como um feixe de lenha. A documentação em ambas as línguas é de meados do século XIX. Em francês aparece no século XII; em provençal no século XV; em italiano só é documentado em 1600, mas atribuindo-se existência do vocábulo fagotto ao século XIV e a invenção e denominação do instrumento ao século XVI por Afranio de Ferrara.

 

O nome do instrumento em francês, basson, é documentado em 1613, relacionado com o termo músical basse, também do século XVII, ambos empréstimos do it. bassone e basso, respectivamente, embora Littré o interprete como bas son, "som baixo".

 

O ingl. bassoon é tido como empréstimo ao fr. basson; documenta-se já c.1730. O al. Fagott é também empréstimo ao francês.

 

Definição. Instrumento de sopro, de madeira, com palheta dupla, tubo cônico em forma de U, que termina numa campana. Atualmente usam-se dois tipos: o baseado no sistema francês Buffet-Grampon, com 22 chaves e seis furos livres, e o baseado no sistema Heckel, concebido em 1880, com 24 chaves e cinco furos livres. Sua extensão vai do si bemol 1 ao ré 4, podendo-se chegar ao mi e ao fá 4. Sua música é escrita na clave de fá na quarta linha ou na de dó na quarta linha, para as notas agudas. Divide-se em três partes: a mais estreita, onde se aplica o tudel, chama-se aleta; a segunda, mais curta e mais larga, que constitui a base do instrumento, é formada por dois tubos paralelos que se comunicam interiormente por meio de um sifão metálico, resguardado por uma caixa chamada culatra; a terceira e mais comprida, denominada canhão, é que contém a campana.

 

História. A origem do fagote remonta ao século XVI. Sua fabricação atendeu à necessidade de substituir a bombarda grave por um instrumento mais cômodo e homogêneo. O fagote seria um derivado direto do baixo de oboé; daí sua designação em francês e em inglês, tendo trazido nova sonoridade que se combina muito bem com os clarinetes e as trompas.

 

Uso. Nas orquestras, geralmente toca em uníssono com o cello. Sua introdução na orquestra data de 1671, na França. No século XVIII, Vivaldi escreveu 38 concertos para fagote e orquestra. Também dele usaram J.S.Bach, Telemann, Haendel, Mozart, Haydn, Beethoven, Mendelsshon, Wagner, Berlioz, Rimski-Korsakov em Schéhérazade, segundo movimento, Paul Dukas em L´Apprenti sorcier (1897; Aprendiz de feiticeiro), Tchaikovsky na Sinfonia Patética, primeiro movimento e Ravel, entre outros.

 

O fagote contralto, também chamado fagotino, it. fagottino, soava uma quinta acima do instrumento moderno; é ainda usado em bandas na Inglaterra.

 

Vídeo:

W.A.Mozart Concerto for Bassoon and Orchestra in B- Major KV 191 (full concerto)
Solista: Aleksandar Ranisavljev, regência:  Alpaslan Ertungealp, RTV Slovenia Symphony Orchestra, 26.02.2012. Ljubljana, Slovenia

 

 

 

 

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional