ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Voz Humana: classificação

Última modificação : Sexta, 12 Fevereiro 2016 16:25


 

A voz humana é o instrumento mais antigo e mais natural por meio do qual é possível produzir música. Apesar de ser um instrumento sui generis, assim como os demais instrumentos musicais, a voz é classificada de acordo com os elementos que a singularizam. Esses elementos são a extensão, o timbre e o temperamento vocal.

 

A extensão está relacionada com a altura dos sons, ou seja, é o número de notas que uma determinada voz consegue produzir, enquanto o timbre é a qualidade que permite distinguir duas vozes que apresentam a mesma extensão. O temperamento vocal é a posição que o cantor assume diante de sua voz, ou em outras palavras, é atitude que o cantor imprime na produção vocal que inclui a entonação, a acentuação e a emissão dos sons.

 

Assim, a partir desses elementos é possível classificar as vozes humanas em uma família que é composta por quatro principais registros: as vozes femininas, de soprano e contralto, e as vozes masculinas, de tenor e baixo.

 

No entanto, em cada um desses principais registros, encontram-se qualidades vocais específicas que darão origem a outros registros, também qualificados de acordo com os seus aspectos relativos à extensão, ao timbre e ao temperamento vocal. Desta forma, temos a seguinte configuração:

 

Vozes Femininas:

- Soprano: é a mais aguda das vozes e pode ter uma extensão que abrange duas ou mais oitavas. Esse registro vocal dá origem, mais comumente, a cinco outros registros:

 

. Ligeiro: extensão do Do3 ao Re5, adaptando-se aos mais variados ornamentos vocais, embora o seu volume não seja excepcional.

 

. Lírico-ligeiro: extensão do Do3 ao Re5, como o soprano ligeiro. Porém, a especificidade do seu timbre permite a interpretação de papéis líricos e ligeiros.

 

. Lírico: extensão do Do3 ao Do5. Voz com expressão mais aveludada, que comporta uma maior intensidade em relação às vozes ligeiras.

 

. Lírico-spinto: extensão do La3 ao Do5. Voz que comporta maiores efeitos expressivos e maior potência em relação à lírico.

 

. Dramático: extensão Sol3 a Do5. Das vozes de soprano, esta é a que comporta maior expressividade e potência tímbrica, além de alcance nas notas graves.

 

 

- Mezzosoprano: extensão do La2 ao La4, sendo portanto intermediária entre soprano e contralto.

 

. Ligeiro: extensão de Sibemol2 a Do sustenido5. Aproxima-se de soprano dramático e sua agilidade permite interpretações que envolvem virtuosismo.

 

. Dramático: extensão de Sol3 a Do5. Embora essa tessitura coincida com a tessitura de soprano dramático, as notas graves dispõe de maior potência.

 

 

- Contralto: extensão do Fa2 ao Fa4, é a voz feminina mais grave e as notas graves apresentam maior potência e firmeza em relação ao mezzosoprano.

 

 

Vozes Masculinas:

- Tenor: extensão de Do2 ao Do4, sendo a voz masculina mais aguda.

 

. Ligeiro: extensão Do2 ao Si bemol3. Caracteriza-se pela agilidade na interpretação de passagens rápidas.

 

. Cômico ou buffo: extensão Do2 a Do4. Assemelha-se ao tenor ligeiro, mas é mais apropriado para interpretações de personagens cômicos.

 

. Lírico: extensão de Do2 ao Do4. Embora essa tessitura coincida com a anterior, apresenta maior firmeza e potência.

 

. Lírico-spinto: extensão do Si2 ao Do5. Caracteriza-se por uma maior potência e capacidade expressiva.

 

. Dramático: extensão do Si2 ao Do4. Voz que apresenta uma especial potência no registro médio e grave, embora seus agudos sejam menos brilhantes.

 

 

- Barítono: extensão que oscila entre de Sol1 a Fa3, é mais grave que a de tenor e menos apropriada para passagens que exigem agilidade.

 

. Ligeiro: extensão de Sol1 a Sol3, caracterizando-se pela presença de agudos aveludados e graves pouco potentes.

 

. Buffo: extensão de Do2 ao La bemol3. Embora seja similar à anterior, esta apresenta uma expressão menos dramática.

 

. Heróico: extensão do Si bemol1 ao La bemol3, sendo que o registro grave caracteriza-se por uma expressão aveludada, enquanto os extremos apresentam intensos agudos.

 

 

- Baixo: extensão de Mi1 ao Do3, sendo a voz masculina mais grave.

 

. Cantante: extensão de Mi1 ao Fa3, caracterizando-se por um timbre ligeiro.

 

. Profundo: extensão do Re1 ao Fa3, apresentando graves potentes e agudos seguros.

 

 

O falsete ou falsetto é a produção de voz artificialmente alta por um homem, depois que sua voz se fixou no registro de tenor ou de baixo. É o tipo de "voz de cabeça" usado pelos contratenores. Foi muito usado em Missas e Motetes polifônicos na ausência de meninos.

 

O contratenor é a voz masculina mais alta que a do tenor. Esteve muito em voga durante os séculos XVII e XVIII, e voltou a ficar em moda com a revalorização da música desse período e de seu estilo de interpretação. Alfred Deller (1912-1979) é o solista predominantemente associado a esse ressurgimento.

 

Apesar das vozes serem classificadas de acordo com a sua extensão, seu timbre e seu temperamento, é fundamental que o cantor considere a singularidade de sua voz e busque os meios pelos quais é possível estabelecer uma concordância entre as suas características individuais e as exigências da arte lírica.

 

Divisão de naipes

Na música ocidental, um coro misto (de vozes adultas, masculinas e femininas) compõe-se de quatro naipes: Baixos, Tenores, Contraltos e Sopranos; incluindo, algumas vezes, também as vozes intermédias: Barítono e Mezzo-soprano mais frequentemente ditas 2º Tenor e 2º Soprano, respectivamente.



 

 

Fonte:

operarubini.com - acesso 08/09/2013 às 10h

Dicionário de Música Zahar

Dicionário Enciclopédico da Música e Músicos