ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

NEUKOMM, SIGISMUND (1778-1858)

Última modificação : Segunda, 22 Junho 2015 16:51



(Salzburgo, 10 de julho de 1778 - Paris, 3 de abril de 1858)

 

Sigismund Ritter von Neukomm nasceu em Salzburg a 10 de julho de 1778. Foi aluno de Michael Haydn, mestre-de-capela e organista da catedral de Salzburgo, que lhe confiou parte de suas funções de organista da catedral. Aos 16 anos transferiu-se para Viena, onde por sete anos consecutivos estudou com Joseph Haydn. Deixou Viena em 1804, para ser kapellmeister no teatro alemão de São Petesburgo, na Rússia. Voltou a Viena em 1809 e mais tarde passou a ocupar o cargo de músico na casa do príncipe de Talleyrand, que foi uma das figuras mais destacadas da política francesa entre os reinados de Luiz XVI e Luís-Felipe, incluindo o período napoleônico. Como músico de Talleyrand, foi responsável pela composição e execução do grande Te Deum que marcou a entrada de Luís XVIII em Paris, assim como pelo Requiem que, em 1815, celebrou a memória de Luís XVI e de Maria Antonieta na Catedral de Viena, na presença de todas as cabeças coroadas da Europa, presentes ao Congresso de Viena.

 

Foi convidado a integrar a comitiva do duque de Luxemburgo, embaixador extraordinário de Luiz XVIII que vinha ao Brasil para discutir questões de limites com a Guiana Francesa, conforme decisão do Congresso de Viena, e incrementar as relações diplomáticas entre França e Brasil, integrando-se à chamada Missão Artística Francesa, que veio criar a Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro. O nome de Neukomm já aparecia em documentos da futura missão, mas sua vinda ao Brasil deu-se oficialmente na comitiva do duque de Luxemburgo. Chegou ao Rio de Janeiro a 30 de maio de 1816, hospedando-se na casa do conde da Barca, figura de destaque na corte. Por influência deste, resolveu não retornar a Paris com a comitiva do duque, ficando no Brasil até 1821.

 

A 16 de setembro de 1816, um decreto real nomeou-o professor público de música no Rio de Janeiro e encarregado de prestar serviços como compositor e executante. Foi professor do príncipe D. Pedro II, de sua esposa Leopoldina, e da princesa D. Isabel Maria. Consta que foi também professor de Francisco Manuel da Silva, mas este fato não ficou comprovado pelo relato autobiográfico de atividades no Rio de Janeiro, deixado por Neukomm. Foi pioneiro na utilização de temas brasileiros na música erudita. Viajou por todos os países importantes da Europa, chegou mesmo à África do Norte, dando concertos de órgão e participando da estreia de muitas de suas obras. Seu catálogo manuscrito registra 1.265 obras, mas é provável que o total de peças do autor chegue a mais de 1.800. Neukom faleceu em Paris a 03 de abril de 1858.

 

Obras:

Compôs dez óperas, música incidental para quatro peças de teatro, 48 missas, oito oratórios e grande número de peças menores, incluindo 200 canções.

Só no Brasil compôs mais de 90 obras, algumas inspiradas na nossa música popular, modinhas que ele julgava de ótimo valor artístico, isso 40 anos antes de Brasílio Itiberê da Cunha surgir com sua Sertaneja.

 

Ocupou a Cadeira nº 6 da Academia Brasileira de Música

 

Fonte original do artigo:

abmusica.org.br