ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

MARIMBA

Última modificação : Segunda, 23 Junho 2014 20:56


 

Família: Percussão

 

Embora tendendo a ser tomada por uma espécie de xilofone e, em certa medida, aproximada do vibrafone, a marimba tem especificidades históricas e estruturais que a tornam inconfundível e que fazem dela um instrumento particularmente interessante.

 

Seu nome, com essa mesma forma e o mesmo significado básico, vem do quimbundo (língua dos quimbundos, um povo nativo banto da região de Angola), o que denuncia suas origens africanas, e sua vinda para a América através de escravos. Há livros que dão, para a palavra marimba, uma origem silvícola do Equador, mas essa não parece ser a melhor hipótese.

 

A verdade é que o instrumento se fez conhecido na América, a partir da Guatemala, onde se tornou até uma espécie de "instrumento nacional" difundindo-se muito, depois, no universo musical popular do México.

 

Ao contrário do xilofone, a marimba sempre teve ressoadores para as lâminas que, no início, eram uma espécie de cabaças de bambu, modernamente substituídas por caixas retangulares de madeira, parcialmente fechadas por pele de tripa de boi.

 

Certas marimbas atuais, cujo som é mais penetrante que o do xilofone, tem as lâminas dispostas em vários fios, chegando, em certos casos, a ter uma extensão de 11 oitavas, sendo seis destinadas ao registro agudo e cinco aos sons médios e graves.

 

Mas essa grande extensão é rara: as marimbas mais usuais abarcam cinco oitavas e meia, sendo costumeiramente acionadas por grupos de três músicos: um se incumbe das linhas melódicas, usando normalmente duas baquetas; já os outros dois fazem o "acompanhamento", utilizando três baquetas cada um.

 

As baquetas dos agudos tem cabeça esférica de madeira ou de borracha dura, enquanto que as destinadas aos graves tem a cabeça forrada de lã, o que gera sons com sugestões de doçura e profundidade, enquanto os agudos são particularmente abertos e brilhantes, o que, inclusive, facilita o destaque da linha melódica, em relação à tessitura harmônica.

 

O compositor australiano Percy Grainger (1882-1961) foi o primeiro a levar a marimba para o instrumental sinfônico, com sua suíte In a Nutshell (1916). Holst (1874-1934) inclui a marimba para o filme The Red Pony; Milhaud (1892-1974) é autor de um concerto particularmente interessante, que tem solos de marimba e vibrafone (1960), o que permite perceber as diferenças e semelhanças acústicas entre os dois instrumentos; Villa-Lobos inclui uma marimba na instrumentação do seu Concerto para Harpa e Orquestra (1953).

 


Vídeos:

 

http://youtu.be/Ji_Cc6pFfQ4

http://youtu.be/LuuG4aPdlfI


 

Artigos relacionados:


Vibrafone

Xilofone




 

Fonte:

Sobre os Instrumentos Sinfônicos e em torno deles, José Alexandre dos Santos Ribeiro