ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Concerto de Ruídos | Concert de Bruits

Última modificação : Sexta, 23 Outubro 2015 16:19



 

Os mesmos avanços eletroeletrônicos ocorridos entre a última década do século XIX e as primeiras do século XX, que estão na base de invenções como o rádio, o fonógrafo e "os cinemas" ( o "mudo" em 1895 e o sonoro, ou "falado", em 1926), e que se entrelaçam com as vanguardas e modernidades sócio-político-artístico-culturais e com as duas Guerras Mundiais, geram e contextualizam a invenção de instrumentos eletrônicos e/ou eletromecânicos.

 

Mas toda essa Grande Revolução só atinge efetivamente a Música Ocidental, enquanto código e linguagem artístico-cultural, a partir de fins da primeira metade do século XX, ou seja, após a Segunda Guerra Mundial.

 

Sua percussão imediata deve-se a John Cage, o radical e criativo compositor norte-americano que, a partir de 1939, ano de composição da sua "Imaginary Landscape I", torna-se o primeiro compositor importante do Ocidente a usar equipamentos (como o toca-discos) eletroeletrônicos em peças musicais especialmente compostas para eles.

 

Mas foi na Paris de 1948 que um engenheiro eletrônico da ORTF ("Office de la Radiotélévision Française"), chamado Pierre Schaeffer (1910-1995), que tinha a seu cargo a chefia do serviço de sonoplastia do setor de rádio-teatro da Rádio oficial da França, iniciaria a vanguarda do século XX na Música Ocidental: ocorre que, tendo sob seus cuidados um imenso arquivo fonografado de efeitos sonoros e sons ambientais, Schaeffer começou a reprocessar, mixar, alterar e repetir fonograficamente esses sons, segundo critérios artísticos, que ele ia improvisando de início, e ordenando depois.

 

O primeiro produto final dessas reelaborações sonoras fonocaptadas de Schaeffer foi por ele levado ao ar pela ORTF em julho de 1948, com o nome de "Concerts de Bruits" ("Concerto de Ruídos"). A transmissão, obviamente, foi execrada por muitos e adorada por alguns. Dentre estes últimos, estava o então jovem compositor francês Pierre Henry (1927-) que, durante dez anos (entre 1938 e 1948) estudara no Conservatório de Paris com ninguém menos que Nadia Boulanger (1887-1979) e Olivier Messiaen (1908-1992).

 

Henry entusiasma-se com a proposta "músico-ruidófona" de Schaeffer e funda com ele em Paris um estúdio chamado Club d´Essai (Clube de Experiência), criando-se assim oficialmente o que eles chamaram de "Musique Concrète", que nasce na verdade como um tipo de música eletrônica que processava "concretamente", em fita magnética, sem a abstração da partitura e da posterior interpretação, sons reais e previamente ocorridos e captados.

 

A fundação do Club d´Essai ocorreu em 1949. No ano seguinte, a nova entidade faz uma audição pública na Escola Normal de Paris, quando é apresentada a hoje legendária Symphonie pour un Homme Seul (Sinfonia para um homem só), toda feita em música concreta fonoprocessada, de autoria de Schaeffer e Henry. Em 1955 a peça serviu de base para uma famosa coreografia e dança de Maurice Béjart (1927-2007), o coreógrafo e bailarino francês que, com o norte-americano Jerome Robbins (1918-1998), foi o grande inovador da arte coreográfica do século XX.

 

A partir de então, os grandes nomes da música francesa de vanguarda, como Messiaen, Boulez, Philippot, Jolivet, entre outros, aderem ao Club d´Essai, robustecendo o papel histórico de Schaeffer na música e dando consistência histórico-artística à música concreta.

 

A música concreta, com o passar do tempo, foi deixada de lado, cedendo espaço para a escola de elektronische musik, iniciada por Karlheinz Stockhausen (1928-2007) e seus contemporâneos no "Studio für Elektronische Musik" (Estúdio de Música Eletrônica), em Colônia. Mas o gênero havia deixado sua marca e continuou sendo uma influência duradoura na música eletroacústica do final do século XX. O uso de sons gravados de fontes não musicais foi levado para muitos trabalhos rock e pop, com muitos exemplos nas músicas de grupos como os Beatles e Pink Floyd. De fato, muitas das técnicas de manipulação sonora estabelecida por Schaeffer estão no centro da tecnologia de "sampleamento" atual.

 

 

Artigo relacionado:


Estúdio de Música Eletrônica | Studio Für Elektronische Musik

 


Vídeos relacionados:


Imaginary Landscape I, John Cage

http://youtu.be/GLDxqnksY80

 

Symphonie pour un Homme Seul, Schaeffer

http://youtu.be/OQOPHVTtio0

http://youtu.be/V8dCdQ3iTrc




 

 

 

Fontes:

. Sobre os instrumentos sinfônicos e em torno deles, José Alexandre Santos Ribeiro, Editora Record

. Manual ilustrado dos instrumentos musicais, Rebecca Berkley...[et al.] | Organizador geral: Lucien Jenkins, Irmãos Vitale, 2009