ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

VARIAÇÕES ENIGMA

Última modificação : Sexta, 18 Março 2016 15:35


 

ELGAR, EDWARD WILLIAM (1857-1934)

INGLÊS – ESCOLA NACIONAL INGLESA – 79 OBRAS

 

Variations on an Original Theme 'Enigma', Op.36

Título alternativo: Enigma Variations

 

Movimentos: 15 (Introdução/Tema e 14 variações):

Theme (Andante)

Variação I. (L'istesso tempo) "C.A.E."

Variação II. (Allegro) "H.D.S-P."

Variação III. (Allegretto) "R.B.T."

Variação IV. (Allegro di molto) "W.M.B."

Variação V. (Moderato) "R.P.A."

Variação VI. (Andantino) "Ysobel"

Variação VII. (Presto) "Troyte"

Variação VIII. (Allegretto) "W.N."

Variação IX. (Adagio) "Nimrod"

Variação X. (Intermezzo: Allegretto) "Dorabella"

Variação XI. (Allegro di molto) "G.R.S."

Variação XII. (Andante) "B.G.N."

Variação XIII. (Romanza: Moderato) "* * *"

Variação XIV. (Finale: Allegro Presto) "E.D.U."

 

Ano da composição: 1899.

Após a estreia, Elgar revisou a parte final da coletânea, adicionando 96 novos compassos e a parte de órgão.

Primeira apresentação: 19 de junho de1899, em Londres, St. James Hall, com regência de Hans Richter.

Primeira publicação: 1899, Novello & Co

Dedicatória: "Aos meus amigos que nela estão retratados"

Estilo: Romântico

 

Instrumentação:

2 flautas, 1 piccolo, 2 oboés, 2 clarinetes em si bemol, 2 fagotes, 1 contrafagote, 4 trompas em fá, 3 trompetes em fá, 3 trombones, tuba, tímpanos, caixa clara, triângulo, bumbo, címbalos, órgão (ad lib) e cordas.

 

Reza a história que a obra mais célebre de Elgar, as Variações Enigma, nasceu quase ao acaso. Depois de dar uma aula de violino (1898), o compositor se sentou ao piano em casa e começou a improvisar a fim de relaxar. A mulher, Alice, gostou de um dos temas que o marido executou e pediu para que ele tocasse de novo. Elgar, então, voltou ao tema várias vezes. Só que cada vez ele tocou o mesmo tema de forma diferente, imaginando como alguns dos amigos executariam aquela melodia. Assim teria surgido a ideia da obra, na qual homenageou quatorze amigos e o seu cão de estimação.

 

As Variações Enigma retratam a mulher de Elgar, os amigos e Dan, seu amado cão, além de um autorretrato. A palavra "enigma" se justifica de duas maneiras. A primeira: o tema de seis compassos em sol menor enunciado apenas pelas cordas, seguido de quatro compassos em sol maior, é considerado como contraponto de uma melodia muito conhecida. Entre as inúmeras alternativas imaginadas, o God Save the Queen, o hino nacional inglês, seria a tal melodia misteriosa. Mas o enigma jamais foi resolvido.

 

O segundo uso do termo se refere às 14 variações. Cada uma delas é dedicada, por iniciais ou pseudônimos, a um amigo ou parente próximos. No frontispício da partitura, está escrito: "Aos meus amigos que nela estão retratados".

 

Primeira variação (C.A.E.): um amoroso retrato musical de sua mulher, Caroline Alice Elgar.

 

Segunda variação (H.D.S.-P): uma agitada tocata, é dedicada ao pianista amador David Stewart-Powell.

 

Terceira variação (R.B.T.): uma mazurca, é o retrato de um ancião, Richard Baxter Towsnhend.

 

Quarta variação (W.M.B.): retrata seu vizinho em Worcestershire, William Meath Baker.

 

Quinta variação (R.P.A.): retrata seu amigo melômano Richard Arnold, grande papo, que costumava interromper suas palavras sérias com tiradas sarcásticas e bem humoradas.

 

Sexta variação (Ysobel): é uma variação poética sobre a violista Isabel Fitton.

 

Sétima variação (Troyte): Arthur Troyte Griffith, cuja música, com três tímbales solistas, ilustra a "tentativa de tocar piano".

 

Oitava variação (WN): inspirada por uma mansão antiga do século XVIII e pela amiga Winifred Norbury.

 

Nona variação (Nimrod): um belo adágio, homenagem ao amigo August Johannes Jeager, seu interlocutor na editora de Novello. Supõe-se que a variação reproduza uma discussão entre ambos sobre os movimentos lentos na obra de Beethoven.

 

Décima variação (Dorabella): sobre Dora Powel, que escrevia um livro sobre Elgar. Ele a apelidou de Dorabella, em alusão à personagem da ópera Cosi Fan Tutte, de Mozart.

 

Décima primeira variação (GRS): retrato musical de G.R.Sinclair, organista da Catedral de Hereford, e de Dan, o cachorro de Elgar. O compositor descreve seu cão nadando no rio depois de cair em suas águas.

 

Décima segunda variação (BGN): retrato de Basil G.Nevinson, violoncelista amador, "amigo dedicado de sempre".

 

Décima terceira variação (***): leva o subtítulo "Romanza". É o retrato de uma dama numa viagem marítima. O solo de clarineta evoca, no início, a abertura Mar Calmo e Próspera Viagem, de Félix Mendelssohn. A dama, a norte-americana Julia H.Worthington, foi amante de Elgar até 1913.

 

Décima quarta variação (EDU): autorretrato. Alice colocou-lhe o apelido Edoo.

 

 

Vídeo




 

 

FONTES BIBLIOGRÁFICAS:

Grandes Compositores da Música Clássica: Elgar, Bravo!, Abril Coleções (2009)

IMSLP/Petrucci Music Library (página acessada em 29/05/2015)