ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Instrumentos musicais | Curiosidades

Última modificação : Terça, 17 Maio 2016 14:41



 

A harpa é uma das formas mais primitivas de instrumentos de cordas. Há 5.000 anos, no Egito Antigo, tocavam-se harpas de arco, sem colunas, cujas cordas, provavelmente estiradas a baixa tensão, produziam sons de pouca intensidade. Pelo século VIII a harpa com coluna já havia sido desenvolvida, mas até o século XVIII ainda era afinada apenas pela escala natural. O pedal foi um melhoramento do século XVIII. Por volta de 1810, Sébastien Érard inventou um mecanismo de duplo movimento, de maneira que a harpa moderna pode ser afinada para todas as escalas diatônicas.

 

 

O bombo é um dos mais importantes instrumentos da família dos tambores nas bandas e orquestras atuais. Introduzido na música ocidental, passou a fazer parte das orquestras europeias em meados do século XVIII, juntamente com outros instrumentos militares de percussão de origem turca. Nessa altura, a caixa-de-rufo, ou tambor turco, como era chamada, assemelhava-se a um tambor mais alto do que largo. Por volta da metade do século XIX, foi substituída pela caixa clara, que é usada atualmente.

 

 

Os pandeiros e instrumentos similares datam do II milênio A.C., época em que eram constituídos essencialmente por simples tambores, sem os discos metálicos que tem atualmente. Na maioria dos países muçulmanos esses pandeiros antigos ainda são utilizados.

 

Os pandeiros modernos, que mudaram muito pouco desde sua introdução na Europa durante o século XII, constam de um aro de madeira, em que são embutidas as soalhas. O aro é, geralmente, revestido com uma membrana de pele. O pandeiro pode ser percutido, ou sacudido, quando se pretende destacar o som das soalhas.

 

 

Os tímbales ou tímpanos aparecem nas orquestras ocidentais a partir do século XVIII. Esses instrumentos originários do Oriente Médio, foram introduzidos na Europa por volta do século XIII e figuravam nas bandas de cavalaria. Em orquestras sinfônicas caracterizaram-se por serem os únicos capazes de produzir sons de altura determinada (tônica e dominante). A afinação depende do tamanho da caixa de ressonância, que é geralmente de bronze ou cobre, e, sobretudo da tensão da membrana que a recobre. No tímpano do século XVIII as quatro cravelhas tinham que ser torcidas separadamente. No exemplar moderno, uma pedaleira altera mecanicamente as afinações durante uma execução.

 

 

Acredita-se que o banjo, surgido no século XVIII, tenha sido introduzido nos Estados Unidos por escravos africanos. Pela metade do século XIX, tornou-se o instrumento tradicional dos negros norte-americanos. Tem quatro ou mais cordas, que são tingidas, e a caixa de ressonância consiste num aro de metal envolvido por uma pele esticada.

 

 

O acordeão, inventado na década de 1820, é um instrumento de palhetas, funcionando pelo mesmo princípio que a harmônica de boca, isto é, cada palheta dá uma nota diferente. O ar é forçado a passar através das palhetas por foles, que constituem a parte central do instrumento. A mão direita toca a "meio-dia" do teclado, enquanto a esquerda preme os botões que fazem o acompanhamento.

 

 

O cavaquinho é um violão de pequeno porte e rudimentar, de quatro cordas.

 

 

A viola barítono ou viola bastarda foi inventada na Alemanha no século XVII. Era um instrumento de arco e, tal como a viola d'amore, uma versão modificada da viola propriamente dita. Mais ou menos do tamanho da viola baixo, tem seis cordas essenciais e de 16 a 40 cordas simpáticas de aço. Estas não são tangidas diretamente, mas vibram por simpatia quando as cordas melódicas são friccionadas com o arco. A viola barítono tornou-se particularmente conhecida pelas peças que Haydn escreveu para ela no final do século XVIII.

 

 

Muitos instrumentos de sopro, principalmente os de metal, tem uma longa história. Um dos mais antigos é o lur escandinavo, que remonta à Idade do Bronze na Dinamarca. O lur era de bronze, com boquilha em forma de cálice, como a corneta atual, embora originalmente talvez fossem feitos de chifre. Antes da invenção das válvulas, o corneto e o serpentão, último membro dos cornetos, eram indispensáveis entre os instrumentos de sopro. É difícil classificá-los. Feitos de madeira e revestidos de couro, os cornetos eram dedilhados como as flautas doces, mas, por terem boquilha caliciforme, eram soprados como "metais". Ambos os instrumentos foram usados até o século XVII, e o serpentão até mesmo no século XIX (1825).

 

 

As palhetas podem ser simples (família da clarineta) ou duplas (família do oboé). Instrumentos de palheta dupla: fagote, oboé, corne inglês; instrumentos de palheta simples: clarineta, clarineta baixo.

 

 

Os instrumentos de uma banda de música pertencem todos à família do saxofone e possuem pavilhões cônicos, diversamente dos trompetes e trombones, que tem abertura cilíndrica. O saxotrompa foi criado na década de 1840 por Adolphe Sax, inventor belga, construtor de instrumentos musicais, mais conhecido pela invenção do saxofone. A tuba, o baixo da família, data da década de 1830 e é usada tanto em orquestras quanto em bandas de música. O cornetim é o instrumento mais agudo do grupo: deriva originalmente da família da corneta dos correios usada nas carruagens, a qual foram adicionadas válvulas (pistões). O corneto é um pouco maior que o cornetim e possui um tom mais melodioso.

 

O saxofone, inventado no século XIX por Adolphe Sax, é um instrumento de sopro de palheta simples que reúne características do oboé e da clarineta e é, hoje em dia, geralmente afinado em mi bemol e si bemol.

 

 

A orquestra moderna conta com alguns instrumentos com som de sino ou de vários sinos afinados em tons diferentes. O carrilhão é o conjunto de tubos de metal pendentes de uma armação e se toca com uma espécie de martelo. É utilizado quando o compositor deseja obter um som forte de sinos no conjunto orquestral. O Glockenspiel tem duas fileiras de lâminas de aço, dispostas como um teclado de piano. Quando se ferem essas lâminas com um par de macetas, cujas cabeças podem ser de madeira, de borracha ou plásticas, obtém-se sonoridade semelhante à de sinos, porém mais suave. A celesta, inventada na França em 1880, também possui lâminas de aço como o Glockenspiel, mas é tocada com um teclado e tem uma caixa adicional de ressonância de madeira.

 

 

Conheça mais instrumentos


 

 

 

FONTE BIBLIOGRÁFICA:

Enciclopaedia Mirador Internacional