ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

BRUCH, CHRISTIAN FRIEDRICH MAX (1838-1920)

Última modificação : Segunda, 13 Julho 2015 16:41



ALEMÃO – ESCOLA NACIONALISTA AUSTRO-ALEMÃ - C.200 OBRAS 


Bruch foi um importante compositor e regente alemão do século XIX. É lembrado sobretudo por seu melodioso Concerto para violino nº 1, embora tenha composto muita música coral e diversas óperas. Conservador por natureza, Bruch acreditava que a música devia ser cantável e acessível, opondo-se com veemência às inovações de contemporâneos como Richard Strauss e Max Reger.

 

Compositor alemão do período romântico, nasceu em Colônia em 06 de janeiro de 1838 e morreu em Fridenau em 02 de outubro de 1920. Seu pai era advogado e sua mãe soprano e professora de música. Começou seus estudos musicais tomando aulas de piano e seu talento precoce foi muito cedo reconhecido por músicos influentes em Colônia, inclusive o pianista, regente, e compositor Ignaz Moscheles (1794-1870). Estudou com Ferdinand Hiller (1811-1885) e Carl Reinecke (1824-1910).  


Em 1852, ganhou o prêmio da “Fundação Mozart” com apenas quatorze anos. Treze anos depois, em 1865, foi nomeado Diretor de Música em Coblenz, uma posição que manteve durante dois anos. Logo depois, foi empregado em Sonderhausen como “Kapellmeister” (1867-1870); em Liverpool como regente da Sociedade Filarmônica (1880-1883); em Breslau como regente da “Orchesterverein” (1883-1890) e finalmente como professor em Berlim (1891-1911).


Durante o longo período em que morou em Mannheim, Bruch compôs a ópera Loreley (1863), a qual fez grande sucesso e tornou-o conhecido. Essa ópera foi baseada no libreto de Geibel e dedicada a Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809-1947). Obteve sucesso, também, com a cantata Frithjof, op. 23 (1864). Em 1883 fez uma longa excursão para os Estados Unidos e em Cleveland, no dia 26 de abril de 1883, suas composições foram executadas durante um grande concerto. O reconhecimento oficial chegou em 1891, quando se tornou professor da Academia de Berlim.


Decidiu aposentar-se em 1911 para se dedicar somente à composição. Apesar de ter composto três óperas, seu talento residia na expressão épica. Enquanto ele viveu, as obras corais seculares: Odysseus e Das Feuerkreuz, com sua sólida escrita coral e seu estilo melodioso, às vezes mostrando afinidades com a música folclórica, foram consideradas particularmente significativas. O famoso Concerto para Violino nº. 1 em Sol menor, Op. 26 é um dos nove trabalhos que Bruch compôs para violino. Os trabalhos restantes para violino incluem o Segundo e Terceiros Concertos (ambos em Ré menor), a Fantasia Escocesa, Serenata, Konzertstück, In Memoriam, Romance e Appassionato.






Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional