ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

Homenagem às mães na Música Clássica

Última modificação : Domingo, 13 Maio 2018 16:54



As mais antigas celebrações do “Dia da Mãe” remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra a Rhea, mulher de Cronos e mãe dos deuses. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a mãe dos deuses romanos, e as cerimônias em sua homenagem começaram por volta de 250 AC.


Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo da Quaresma um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a passarem esse dia com a mãe. 

À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.

Nos Estados Unidos, a comemoração de um dia dedicado às mães foi sugerida pela primeira vez em 1872 por Julia Ward Howe e um grupo de simpatizantes, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.


Anna Maria Jarvis é conhecida como idealizadora do Dia das Mães nos Estados Unidos. A idéia surgiu a partir de um episódio ocorrido na vida pessoal de Jarvis, a morte da mãe em 1905. As amigas, muito preocupadas com seu estado depressivo depois do fato, fizeram uma festa para eternizar o dia. Anna quis que a celebração fosse estendida a todas as mães. Depois de lutar três anos para oficializar a data, finalmente, em 26 de abril de 1910, o governador da Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, acrescentou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Em pouco tempo outros estados dos Estados Unidos aderiram à comemoração e com isso, em 1914, o presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson formalizou a data em todo o território nacional.

 

Hoje em dia, muitos de nós celebramos o Dia das Mães com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis há 96 anos atrás.

Apesar de ter passado quase um século, o amor que foi oficialmente reconhecido em 1907 é o mesmo amor que é celebrado hoje e, à nossa maneira, podemos fazer deste um dia muito especial. E é o que fazem praticamente todos os países, apesar de cada um escolher diferentes datas ao longo do ano para homenagear aquela que nos põe no mundo.

Em Portugal, até há alguns anos atrás, o dia da mãe era comemorado em 8 de Dezembro, mas atualmente o Dia da Mãe é no 1º Domingo de Maio, em homenagem a Maria, Mãe de Cristo.

No Brasil a  introdução desta data se deu no Rio Grande do Sul, em 12 de maio de 1918, por iniciativa de Eula K. Long. Em São Paulo, a primeira comemoração se deu em 1921. A oficialização se deu por decreto no Governo Provisório de Getúlio Vargas, que em 5 de maio de 1932, assinou o decreto nº 21.366. Em 1947, a data foi incluída no calendário oficial da Igreja Católica por determinação do Cardeal Arcebispo do Rio, Dom Jaime de Barros Câmara. 


HOMENAGENS ÀS MÃES NA MÚSICA CLÁSSICA

 

Antonín Dvorák:

Songs my mother taught me Op.55 nº4

 

Canções que minha mãe me ensinou (em alemão, Als die alte Mutter sang; ou Když mne stará matka zpívat, em tcheco; e também notoriamente conhecida pelo inglês Songs my mother taught me) é a quarta das sete melodias que formam o ciclo Canções Ciganas (Cigánské melodie, B. 104/4, Op. 55/4). Foram escritas para voz e piano em 1880 com letra em língua alemã de Adolf Heyduk, baseada em poemas folclóricos tchecos, e expressam a liberdade e as emoções da vida cigana, aproveitando-se de algumas influências rítmicas da música cigana da Boêmia. O ciclo de canções foi dedicado ao admirador de Dvořák, o cantor de câmara vienense Gustav Walter.

 

Vídeo

  


Edvard Grieg:

A mother´s grief  Op.15 nº4


Para voz e piano (1864-1868)

Edvard Grieg escreveu esta peça para piano, inspirado no conto Pied Piper, de Hamelin.


Vídeo


 

Robert Schumann:

At my heart at my breast, do ciclo A woman´s love and life


Obra baseada no ciclo de poemas de Adelbert von Chamisso, escrito in 1830. Schumann compôs esta obra em 1840.


Vídeo


 

Johann Brahms:

German Requiem, 5º movimento (1869)


Brahms compôs este movimento do Requiem em memória à sua mãe, representada pela parte da soprano.


Vídeo


 

Heitor Villa-Lobos:

Panqueca

Em 1900, aos 13 anos de idade, Heitor Villa-lobos compõe sua primeira peça: Panqueca – obra para violão – em homenagem à sua mãe Noêmia sendo esse nome em homenagem a um dos seus pratos preferidos – a panqueca.

 





Fontes:

Guia dos Curiosos - Marcelo Duarte

Wikipedia.org

The well-tempered ear