ConcertinoPortal de pesquisa da música clássica

Os mais famosos compositores da linha do tempo

LULLY, JEAN-BAPTISTE (1632-1687)

Última modificação : Quarta, 10 Agosto 2016 14:59



ITALIANO/FRANCÊS - ERA BARROCA - 119 OBRAS

 

Lully era filho de um moleiro italiano, mas, após se radicar na França. sua rápida ascensão a um importante posto na corte de Luís XIV ( o Rei-Sol) fez dele o compositor mais influente da história da música francesa. Durante um quarto de século teve o controle quase total da vida musical francesa, incluindo ópera, balé e música dramática, bem como da edição de música.

 

Vida. Compositor francês de origem italiana, Jean-Baptiste Lully, em italiano Giovanni Battista Lulli, nasceu em Florença a 28 de novembro de 1632 e morreu em Paris a 22 de março de 1687. Mudou de nome quando se naturalizou francês. Foi, inicialmente, palhaço. Em 1652, ingressou no conjunto de cordas da corte de Luís XIV. Em 1658, começou a fazer pequenas composições para balé e, de 1662 a 1671, colaborou com Molière, escrevendo música de cena para Les Fâcheux (Os Enfadonhos), Le Mariage forcé (O Casamento forçado), Le Bourgeois gentil-homme (1670; O Burguês gentil-homem), entre outras.


Em 1662, passou a dirigente dos Petits Violons (Pequenos Violinos) da corte. Em 1672, trabalhou de parceria com o libretista Philippe Quinault, produzindo as óperas Atys (1676), Isis (1677), Roland (1685) e a pastoral Le Temple de la paix (1685; O Templo da paz). Obtendo as graças do rei, tornou-se uma espécie de ditador da música na França, prejudicando os compositores franceses da época.

 

Caracterização. De todos os italianos que se transferiram da Itália para o norte, o maior papel histórico cabe a Lully. Imbuiu-se do espírito francês, fazendo música caracteristicamente francesa. Autenticamente italiano, é, porém, o seu Miserere, composição sacra à maneira de Monteverdi.

 

A música de Lully é uma transformação do espírito do barroquismo para as formas oficiais do Classicismo francês. Lully criou o gênero de sinfonie para proceder as óperas, a chamada ouverture française, lenta e majestosa. A forma é historicamente muito importante para a evolução dos gêneros abertura e sinfonia. Desenvolveu o estilo das danças na ópera francesa. Elaborou a suíte, tornando-a quase tipicamente francesa. É importante a maneira como realiza o acompanhamento instrumental que Monteverdi tinha utilizado em grandes massas de cordas, sem estruturação.


Organizou o grupo de 24 Violons du Roi (24 violinos do rei), com um pequeno agrupamento de instrumentos de sopro. Embora a importância histórica da música de Lully tenha sido muito grande, perdeu depois a atualidade, preferindo-se hoje os compositores franceses da época, que ele não deixou desenvolver.

 

Influências. Como único compositor de ópera francesa por 15 anos, Lully criou um estilo nacional. Suas óperas e óperas-balés eram montadas por toda a Europa e inspiraram compositores como Rameau e Gluck. A publicação de suas aberturas instrumentais e suítes de dança levou ao desenvolvimento da suíte francesa como gênero por Bach e Haendel.

 

Outras obras. Entre as óperas de Lully destacam-se: Thésée (1675; Teseu) e Proserpine (1680; Prosérpina).




 

 

Fonte: Enciclopédia Mirador Internacional